Delirium in a Latin American intensive care unit. A prospective cohort study of mechanically ventilated patients

Rev Bras Ter Intensiva. Jul-Sep 2017;29(3):337-345. doi: 10.5935/0103-507X.20170058.
[Article in English, Portuguese]

Abstract

Objective: To establish the prevalence of delirium in a general intensive care unit and to identify associated factors, clinical expression and the influence on outcomes.

Methods: This was a prospective cohort study in a medical surgical intensive care unit. The Richmond Agitation-Sedation Scale and Confusion Assessment Method for the Intensive Care Unit were used daily to identify delirium in mechanically ventilated patients.

Results: In this series, delirium prevalence was 80% (N = 184 delirious patients out of 230 patients). The number of patients according to delirium psychomotor subtypes was as follows: 11 hyperactive patients (6%), 9 hypoactive patients (5%) and 160 mixed patients (89%). Multiple logistic regression modeling using delirium as the dependent outcome variable (to study the risk factors for delirium) revealed that age > 65 years, history of alcohol consumption, and number of mechanical ventilation days were independent variables associated with the development of delirium. The multiple logistic regression model using hospital mortality as the dependent outcome variable (to study the risk factors for death) showed that severity of illness, according to the Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II, mechanical ventilation for more than 7 days, and sedation days were all independent predictors for excess hospital mortality.

Conclusion: This Latin American prospective cohort investigation confirmed specific factors important for the development of delirium and the outcome of death among general intensive care unit patients. In both analyses, we found that the duration of mechanical ventilation was a predictor of untoward outcomes.

Objetivo: Estabelecer a prevalência do delirium em uma unidade de terapia intensiva geral e identificar os fatores associados, sua expressão clínica e sua influência no desfecho.

Métodos: Trata-se de um estudo prospectivo de coorte em uma unidade de terapia intensiva clínico-cirúrgica. Avaliamos os pacientes diariamente, com a Richmond Agitation-Sedation Scale e a Confusion Assessment Method for the Intensive Care Unit, com o objetivo de identificar delirium nos pacientes mecanicamente ventilados.

Resultados: Nesta série de casos, a prevalência de delirium foi de 184 pacientes com delirium em um total de 230 pacientes. O subtipo de delirium psicomotor foi hiperativo em 11 pacientes (6%), hipoativo em 9 (5%) e misto em 160 (89%). Uma modelagem de regressão logística múltipla, com delirium como a variável de desfecho dependente (para avaliar os fatores de risco para delirium), revelou que idade acima de 65 anos, histórico de consumo de álcool e dias em uso de ventilação mecânica foram variáveis que se associaram independentemente com o desenvolvimento de delirium. Um modelo de regressão logística múltipla, que utilizou mortalidade hospitalar como variável de desfecho dependente (para estudar os fatores de risco para óbito), mostrou que o índice de severidade da doença, como o aferido segundo o escore Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II, o uso de ventilação mecânica por mais de 7 dias e o número de dias de sedação foram as dependentes preditoras de mortalidade hospitalar mais elevada.

Conclusão: Este estudo latino-americano de coorte confirmou os fatores específicos importantes para delirium e o desfecho óbito entre pacientes admitidos a uma unidade de terapia intensiva geral. Em ambas as análises, identificamos que a duração da ventilação mecânica é um preditor de desfechos desfavoráveis.

Objetivo: Estabelecer a prevalência do delirium em uma unidade de terapia intensiva geral e identificar os fatores associados, sua expressão clínica e sua influência no desfecho.

Métodos: Trata-se de um estudo prospectivo de coorte em uma unidade de terapia intensiva clínico-cirúrgica. Avaliamos os pacientes diariamente, com a Richmond Agitation-Sedation Scale e a Confusion Assessment Method for the Intensive Care Unit, com o objetivo de identificar delirium nos pacientes mecanicamente ventilados.

Resultados: Nesta série de casos, a prevalência de delirium foi de 184 pacientes com delirium em um total de 230 pacientes. O subtipo de delirium psicomotor foi hiperativo em 11 pacientes (6%), hipoativo em 9 (5%) e misto em 160 (89%). Uma modelagem de regressão logística múltipla, com delirium como a variável de desfecho dependente (para avaliar os fatores de risco para delirium), revelou que idade acima de 65 anos, histórico de consumo de álcool e dias em uso de ventilação mecânica foram variáveis que se associaram independentemente com o desenvolvimento de delirium. Um modelo de regressão logística múltipla, que utilizou mortalidade hospitalar como variável de desfecho dependente (para estudar os fatores de risco para óbito), mostrou que o índice de severidade da doença, como o aferido segundo o escore Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II, o uso de ventilação mecânica por mais de 7 dias e o número de dias de sedação foram as dependentes preditoras de mortalidade hospitalar mais elevada.

Conclusão: Este estudo latino-americano de coorte confirmou os fatores específicos importantes para delirium e o desfecho óbito entre pacientes admitidos a uma unidade de terapia intensiva geral. Em ambas as análises, identificamos que a duração da ventilação mecânica é um preditor de desfechos desfavoráveis.

MeSH terms

  • APACHE
  • Adult
  • Aged
  • Cohort Studies
  • Critical Care
  • Delirium / epidemiology*
  • Female
  • Hospital Mortality
  • Humans
  • Hypnotics and Sedatives / administration & dosage*
  • Intensive Care Units*
  • Logistic Models
  • Male
  • Middle Aged
  • Prevalence
  • Prospective Studies
  • Respiration, Artificial*
  • Risk Factors
  • Severity of Illness Index
  • Time Factors
  • Uruguay / epidemiology

Substances

  • Hypnotics and Sedatives