Quality of life and Alzheimer's disease: Influence of participation in a rehabilitation center

Dement Neuropsychol. Jul-Sep 2009;3(3):241-247. doi: 10.1590/S1980-57642009DN30300011.

Abstract
in En , Portuguese

Quality of life is seldom explored in evaluations of therapeutic interventions in Alzheimer's disease.

Objective: To verify whether participation in a cognitive and functional rehabilitation program improves quality of life (QOL) among Alzheimer's disease (AD) patients.

Methods: 19 AD patients participated in this study, 12 of whom attended 24 multi-professional intervention sessions - the experimental group - whereas the remaining 7 comprised the control group. The following tools were used to assess changes: a) Mini-Mental State Examination (MMSE); b) Geriatric Depression Scale (GDS); c) Quality of Life in AD evaluation scale (QOL-AD); d) Open question on QOL.

Results: Participation had no positive impact on quantitative clinical variables (MMSE, GDS, QOL-AD). The answers to the open question, examined using the Collective Subject Discourse (CSD) method, suggested that QOL improved after the intervention.

Conclusion: Combining pharmacological treatment with psychosocial intervention may prove to be an effective strategy to enhance the QOL of AD patients.

Qualidade de vida não é frequentemente explorada na avaliação dos resultados de intervenções terapêuticas em DA.

Objetivo: Verificar se a participação em um programa de reabilitação cognitiva e funcional melhora a qualidade de vida (QV) de pacientes com doença de Alzheimer.

Metodos: 19 pacientes com DA participaram deste estudo, 12 participaram de 24 sessões de intervenção multiprofissional – grupo experimental – enquanto os 7 restantes compuseram o grupo controle. Os seguintes instrumentos foram utilizados para avaliar mudanças: a) Mini-Exame do Estado Mental (MEEM); b) Escala de Depressão Geriátrica (EDG); c) Escala de Avaliação de Qualidade de Vida na Doença de Alzheimer (QdV-DA); d) questão aberta sobre QV.

Resultados: A participação não mostrou efeitos positivos em variáveis clínicas quantitativas (MEEM, EDG, QdV-DA). Os relatos na questão aberta, analisados através da metodologia do discurso do sujeito coletivo (DSC), sugeriram que a QV melhora após a intervenção.

Conclusão: Aliar o tratamento medicamentoso às intervenções psicossociais pode ser uma boa estratégia para a melhora da QV dos portadores de DA.

Keywords: Alzheimer’s disease; psychosocial intervention; quality of life.